14/09/2021 às 20h21min - Atualizada em 15/09/2021 às 00h00min

Câncer do peritônio, diagnosticado no filho de Roberto Carlos, pode ser assintomático

Em alguns casos, doença pode provocar dor abdominal, diarreia, náusea, perda de peso, entre outros sintomas

SALA DA NOTÍCIA Emilly Santos
Divulgação
Uma significativa parcela dos pacientes com câncer do peritônio pode não apresentar qualquer sintoma da doença. Considerado a maior membrana do corpo, o peritônio reveste o interior do abdômen protegendo o intestino, fígado, estômago, entre outros órgãos. “Porém, esse tumor oncológico pode provocar dor abdominal, diarreia, náuseas, perda de peso e apetite. Os distúrbios digestivos e o aumento do abdômen também podem ser relatados pelos pacientes”, explica oncologista Ramon Andrade de Mello, professor da disciplina de oncologia clínica da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), da Uninove e da Faculdade de Medicina da Universidade do Algarve (Portugal).
 
O especialista esclarece que esse tumor secundário é mais frequente. “Ele é diagnosticado em outros órgãos como intestino, estômago, pâncreas e depois se dissemina para a cavidade abdominal. Pode ser ainda proveniente de tumores primários no peritônio, que nascem nessa região e são chamados de mesotelioma”, afirma Ramon de Mello. O filho do cantor Roberto Carlos, Dudu Braga, faleceu recentemente vítima desse tumor oncológico. 
 
“Para cada caso será adotado um procedimento. Se o câncer é originário do estômago, por exemplo, o tratamento vai focar no outro órgão. Geralmente os tumores nascidos no próprio peritônio têm maiores chances de cura. Podemos indicar a cirurgia ou quimioterapia”, afirma o oncologista.
 
“De qualquer forma, é preciso uma avaliação clínica. Em alguns casos, o paciente pode apresentar uma inflamação do peritônio, que é resultado de infecção causada por bactérias ou fungos”, explica o oncologista.
 
Sobre Ramon Andrade de Mello
Oncologista clínico e professor adjunto de Oncologia Clínica da Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Ramon Andrade de Mello tem pós-doutorado em Pesquisa Clínica no Royal Marsden NHS Foundation Trust (Inglaterra) e doutorado (PhD) em Oncologia Molecular pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (Portugal).
 
O médico tem título de especialista em Oncologia Clínica, Ministério da Saúde de Portugal e Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO). Além disso, Ramon tem título de Fellow of the American College of Physician (EUA) e é Coordenador Nacional de Oncologia Clínica da Sociedade Brasileira de Cancerologia, membro da Royal Society of Medicine, London, UK, do Comitê Educacional de Tumores Gastrointestinal (ESMO GI Faculty) da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (European Society for Medical Oncology – ESMO), Membro do Conselho Consultivo (Advisory Board Member) da Escola Europeia de Oncologia (European School of Oncology – ESO) e ex-membro do Comitê Educacional de Tumores do Gastrointestinal Alto (mandato 2016-2019) da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (American Society of Clinical Oncology – ASCO). 

Dr. Ramon de Mello é oncologista do Hospital 9 de Julho e da High Clinic Brazil, em São Paulo, SP.
Confira mais informações sobre o tema no site https://ramondemello.com.br/

Informações para a imprensa:
Ex-Libris Comunicação Integrada - (11) 3266-6088
Edmir Nogueira – edmir@libris.com.br – (11) 98937-3503  
Marco Berringer – marcopaulo@libris.com.br 

 
Notícias Relacionadas »