Exclusivo Cartão Marisa - 25% acima de 100 - site todo
04/06/2020 às 15h37min - Atualizada em 04/06/2020 às 15h37min

Saiba qual é a quantidade de Leitos de UTI na capital Paraense

E a quantidade de leitos de UTI espalhados em todo o Estado.

Por Ronaldo Gillet
Planeta Pará
Hospital Barros Barreto, em Belém — Créditos da Imagem: Elielson Modesto / O Liberal
Hoje, o Pará possui hoje um total de 520 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) especificamente à disposição de pacientes da rede pública que contraíram o covid-19. Pelos números oficiais, o vírus já infectou mais de seis milhões de pessoas ao redor do planeta e matou aproximadamente 380 mil pessoas desde o final de 2019. Até o início desta quinta-feira (04/06), 3.193 paraenses perderam a vida por causa do coronavírus. No Brasil, a doença já fez mais de 33 mil vítimas fatais.

LEITOS DE UTI NA CAPITAL PARAENSE

Tratando-se especificamente da capital paraense, o poder municipal disponibiliza 125 leitos de UTI em inúmeros centros de saúde: nos dois prontos-socorros da cidade - da 14 de Março (Mário Pinotti) e do Guamá (Humberto Maradei) -, em quatro UPA's (Unidades de Pronto Atendimento), no Hospital de Retaguarda Dom Vicente Zico e no Hospital Beneficente Portuguesa - que possui convênio com a esfera municipal. 

Somente no Pronto Socorro da 14 de Março, que completa 100 anos no próximo mês de outubro, são aproximadamente 11 mil atendimentos realizados mensalmente segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde. A unidade possui 220 leitos que, nesses primeiros meses de 2020, chegaram à ocupação máxima em diversas ocasiões.

Até o último mês de março Belém tinha somente 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva reservados aos pacientes diagnosticados com coronavírus. A ampliação do atendimento na capital veio após a construção do Hospital de Campanha do Hangar e da disponibilidade de leitos em unidades de saúde como o Hospital Abelardo Santos, em Icoaraci, distrito de Belém.

LEITOS DE UTI ESPALHADOS PELO ESTADO

Em um levantamento feito pelo Planeta Pará Oficial, com base em dados oficiais divulgados pela SESPA, verificou-se a existência de 366 leitos de UTI espalhados por hospitais em todo o Estado (como pode ser observado abaixo) - números contabilizados antes do início da pandemia.

Hospital Universitário João de Barros Barreto

Contava com 300 leitos, sendo 271 leitos operacionais e 29 de retaguarda; 30 consultórios, quatro salas de cirurgia, três salas para cirurgia ambulatorial e uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência

Possuía vinte Unidades de Terapia Intensiva Adulto e cinco UTI’s Pediátricas.

Hospital de Clínicas Gaspar Vianna

Antes do início da pandemia, havia 40 leitos de UTI na unidade hospitalar, distribuídos em UTI’s neonatal, pediátrica, adulto e coronariana

Hospital Oncológico Otávio Lobo

O hospital, anexo ao Hospital Ophir Loyola, possui um centro médico com 108 leitos, sendo dez de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Hospital Doutor Abelardo Santos - Icoaraci

Antes da disseminação do covid-19, o hospital contava com uma ala de observação de 15 leitos; 4 consultórios de pré-consulta; 8 consultórios para atendimento; 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 75 leitos clínicos de enfermaria.

Hospital Ophir Loyola

O Hospital Ophir Loyola possui 44 consultórios ambulatoriais para consultas médicas e de serviços complementares de diagnose e terapia. Antes da pandemia, a autarquia possuía 236 leitos, sendo 29 de Unidade de Terapia Intensiva.

Santa Casa de Misericórdia

Possuía 161 leitos no total (antes da pandemia) - sendo 91 de enfermagem e 70 de UTI.

Hospital Jean Bittar

Contava oito leitos destinados à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para adultos e sete leitos para Pronto Atendimento antes do início da pandemia do covid-19.

Hospital Maternidade Galileo

Contava com 107 leitos no total - sendo 40 de UTI, distribuídos para o atendimento de diversas especialidades.

Hospital Publico da Transamazônica

Tinha nove leitos de UTI.

Hospital do Sudeste do Pará Dr. Geraldo Veloso

Contava com 115 leitos, sendo 77 de Unidades de Internação e 38 de Unidades de Terapia Intensiva.

Hospital Regional de Conceição do Araguaia

Antes da pandemia, contava com nove leitos de UTI adulto, cinco leitos de UTI pediátrica e cinco de UTI neonatal.

Hospital de Salinópolis

Tinha cinco leitos de UTI.

Hospital Regional do Baixo Amazonas

Havia 15 Unidades de Terapia Intensiva - dez UTI's adultos, quatro pediátricas e uma neonatal -, antes de a pandemia começar.

Hospital Regional de do Marajó - Breves

A unidade hospitalar contava com de 70 leitos (sendo 17 leitos para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) - desses, 7 leitos UTI adulto, 5 leitos UTI Neonatal e 5 leitos UTI Pediátrica).

Hospital Regional do Leste do Pará - Paragominas

O hospital contava com 70 leitos - sendo 20 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto e no setor de Urgência e Emergência. 

COMPONENTES PARA MONTAR UMA UTI CHEGA A CUSTAR R$180.000,00

É importante salientar que o funcionamento com excelência de uma UTI depende da aquisição de uma série de insumos - todos eles essenciais para eficiência do espaço. Eletrocardiógrafos, aparelhos de gasometria, monitores multiparamétricos, oxímetros, ventiladores pulmonares (respiradores) e estativas estão entre os equipamentos básicos que mantêm UTI's em atividade. 

De acordo com o Ministério da Saúde, o custo diário de manutenção de uma UTI é de aproximadamente R$ 2.400. Já o investimento total para montagem de somente uma Unidade de Terapia Intensiva pode chegar a R$ 180.000 segundo levantamento feito pela Unicamp.

Desde o início da pandemia o Pará viu a preocupação com um eventual colapso do sistema público de saúde aumentar dia após dia. Medidas de isolamento social foram intensificadas, hospitais de campanha foram construídos e UTI's exclusivas para pacientes com covid-19 foram montadas. 

No final de maio, Santarém (oeste do estado), recebeu 18 respiradores - essenciais para a recuperação de pacientes com síndrome respiratória aguda em estado grave -, Abaetetuba (no Baixo-Tocantins) recebeu 11 unidades desse equipamento, Altamira (Região do Xingu) recebeu dois novos leitos de UTI, Breves (no arquipélago do Marajó) recebeu quatro kits com respiradores, Tucuruí (sudeste paraense) aumentou de nove para 14 o número de Unidades de Terapia Intensiva e Capanema (nordeste do Pará) ampliou a quantidade de respiradores de 27 para 37. Já em Marabá, no sul do Pará, 19 kits de respiradores foram adquiridos pelo poder público.

Notícias Relacionadas »