24/06/2021 às 14h09min - Atualizada em 24/06/2021 às 15h30min

Atleta de polo aquático da ABDA é prata na Olimpíada Nacional de Ciências

Aos 14 anos, Cesar Henrique concilia treinos de polo aquático com a dedicação escolar

SALA DA NOTÍCIA Sheila Junqueira - Assessoria de Imprensa ABDA
https://abdabauru.com.br/blog/2021/06/24/atleta-da-abda-e-prata-na-olimpiada-nacional-de-ciencias/
Divulgação ABDA

Cesar Henrique Storti Arroteia tem 14 anos, cursa o nono ano escolar e é atleta de polo aquático da Associação Bauruense de Desportes Aquáticos (ABDA) desde fevereiro de 2016. Em sua coleção, já constam três medalhas de ouro, na Copa Sesi - categoria sub -12 (2019), Copa União - sub-14 (2020) e HaBaWaBa Brasil - sub-13 (2020), além de ter participado, nos anos de 2017 e 2018, do HaBaWaBa Internacional Festival, maior competição infantil da modalidade realizada anualmente na Itália. Em 2018, a ABDA participou com duas equipes e trouxe o título de campeã da série silver.

Agora, Cesar Henrique vai pendurar mais uma importante medalha na coleção, dessa vez, da área educacional. Ele conquistou medalha de prata na Olimpíada Nacional de Ciências (ONC) 2020.  A ONC é uma competição realizada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), em parceria com a Associação Brasileira de Química (ABQ), o Departamento de História da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o Instituto Butantan, a Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), a Sociedade Brasileira de Física (SBF) e a Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Fabíola Storti Arroteia, mãe do atleta, conta que a ideia de inscrever o aluno na competição foi da professora de ciências Vânia Rossetto, da escola EMEF Santa Maria. “Ela é uma grande incentivadora. A competição integra o Programa Ciência na Escola, ocorre todos os anos e conta com a participação de estudantes do 8º ano do Ensino Fundamental até a 3ª série do Ensino Médio, que precisam demonstrar habilidades em Astronomia, Biologia, Física, História e Química”, explica a mãe orgulhosa.

Momentos da evolução de Cesar Henrique no polo aquático

Momentos da evolução de Cesar Henrique no polo aquático

Momentos da evolução de Cesar Henrique no polo aquático

Esporte e educação – A história de Cesar Henrique é um dos exemplos da importância do apoio familiar, comprometimento, dedicação e do maior objetivo da ABDA que é usar o esporte como ferramenta de desenvolvimento aliada à educação. A família sempre apoiou e apostou no filho, mas a medalha de prata na ONC surpreendeu. “Apesar de acreditar na capacidade do Cesar, foi uma grata surpresa, não esperávamos por ser um desafio diferente para ele e com tantos inscritos. Sabíamos que ele se sairia bem, mas não esperávamos a medalha de prata”, afirma Fabíola.

Além de cursar o nono ano escolar e praticar polo aquático, Cesar Henrique faz aulas particulares de português e treina kung fu. Para dar conta de tudo, é necessário manter rotina e disciplina. “Organizamos os horários para que ele consiga estudar, fazer suas tarefas e treinar. Tanto o estudo quanto o esporte são importantes para o seu crescimento”, explica a mãe.

O atleta garante que não é difícil conciliar todas as atividades. “Eu divido bem o tempo entre os treinos e minha rotina escolar. Gostei muito de participar da Olimpíada, porque questões de ciências e biologia são as que eu mais gosto. A gente tem um tempo de 2 horas para concluir a prova e isso estimula o raciocínio rápido”, conta Cesar que já foi inscrito pela escola para participar da Olimpíada de 2021.

Cesar Henrique com os colegas na viagem à Itália em 2018: campeões do HaBaWaBa

Cesar Henrique com os colegas na viagem à Itália em 2018: campeões do HaBaWaBa

Cesar Henrique com os colegas na viagem à Itália em 2018, para o HaBaWaBa Internacional Festival

A mãe do atleta explica que a competição teve 2 milhões de participantes em todo o Brasil com provas em 2 etapas. “A primeira fase tinha 20 questões objetivas e a segunda eram 8 questões subjetivas, com tempo para execução, igual um vestibular, tudo realizado online. A diretora nos explicou que essas olimpíadas de conhecimentos em âmbito nacional ajudam na classificação do estudante para futuramente cursar faculdades públicas. Isso nos deixou bastante animados”, revela.

Sonhos – Para o futuro, o adolescente pretende seguir treinando polo aquático e, na área acadêmica, seu interesse é grande por biologia e ciências, mas ainda não conseguiu identificar uma profissão a seguir. “Sabemos que a vida de atleta envolve muitos desafios, mas eles sempre buscam se superar, por isso o apoiamos em tudo”, diz Fabíola.

“Nós ficamos felizes com todas as conquistas e pelo Cesar Henrique ter a oportunidade de estudar, ser incentivado na escola, ter participado da Olimpíada de Ciências e pela oportunidade de fazer parte dessa grande família que é a ABDA. Nós estamos sempre junto dele e da irmã mais nova Carol que faz natação na ABDA e também pratica kung fu com ele. É muito especial ver como eles vão evoluindo. Que bom seria se todas as crianças tivessem essa chance, nos estudos e nos esportes”, completa a mãe.

Foto principal: Cesar Henrique com a professora de ciências Vânia Rossetto

Cesar (de máscara branca) com o time campeão do HaBaWaBa Brasil 2020

Cesar (de máscara branca) com o time campeão do HaBaWaBa Brasil 2020

Cesar (de máscara branca) com o time campeão do HaBaWaBa Brasil 2020

Notícias Relacionadas »