17/05/2021 às 12h37min - Atualizada em 17/05/2021 às 13h20min

Pesquisa revela que e-commerce brasileiro cresceu 40% após um ano de pandemia

Fechamento das lojas físicas e insegurança do consumidor em relação ao coronavírus potencializaram as vendas e acessos ao comércio eletrônico no país

DINO
https://www.cuecastore.com.br/


Um ano após o início da pandemia, o e-commerce brasileiro apresentou um expressivo crescimento de 40% na comparação entre fevereiro de 2020 e de 2021, segundo o relatório "E-commerce no Brasil", da agência da Conversion. A pesquisa mostra também que, somente em março deste ano, o comércio eletrônico nacional registrou 1,66 bilhão de acessos.

Os resultados são reflexos da mudança de comportamento do consumidor ao longo dos últimos 12 meses, aderindo à modalidade de compra on-line. Vale lembrar que a crise sanitária provocou o fechamento do comércio físico e outros serviços não essenciais durante alguns períodos do ano passado e deste primeiro semestre de 2021, abrindo espaço para o crescimento das lojas virtuais, que abraçaram a oportunidade.

Os números por setor

O estudo da Conversion analisou ao todo 15 segmentos do mercado e revelou que dez deles apresentaram um significativo aumento de mais de 30% no Year over Year (YoY), ou seja, na comparação ano a ano. Dentre todas as categorias, a que mais se destacou foi a de produtos importados (alta de 91,72%), impulsionada, principalmente, pelo e-commerce asiático Shopee, que atingiu um crescimento incrível de 1.954%. Foi a maior taxa de evolução entre os grandes players do setor em 2020.

O pódio dos segmentos que mais evoluíram no primeiro ano de pandemia foi completado pelos mercados de Pets (88,04%) e de Casa & Móveis (86,62%). Logo atrás, vieram Farmácia & Saúde (65,22%), Moda & Acessórios (63,18%) e Comidas & Bebidas (57,25%). Já na análise mês a mês, o único setor a retrair foi o de Turismo, com queda de 18% em relação a fevereiro deste ano. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o segmento caiu 8,79%.

Cenário atual x pré-pandemia

A pesquisa também fez uma análise considerando como ponto de partida o mês de fevereiro de 2020, antes do início de fato da pandemia, e tendo como referência final março de 2021. Nesse quadro, os três setores que apresentaram os melhores resultados foram o de Farmácia & Saúde (120,67%), Pets (102,25%) e Comidas & Bebidas (95,55%).

E-commerce: as vantagens de comprar on-line

Cada vez mais popular no Brasil e no mundo, o comércio eletrônico viu sua importância aumentar ainda mais durante a pandemia e mostrou que a digitalização das lojas físicas se tornou um movimento natural para a maioria das empresas. Prova desse sucesso virtual é que quase todos os segmentos aumentaram suas vendas on-line, e a única exceção foi de um segmento que oferece o serviço mais afetado em todo o planeta.

Diante das constantes mudanças e necessidades do mercado, as marcas passaram a investir fortemente em Marketing, segurança e estratégias que tornem a experiência do cliente cada vez mais satisfatória. Assim, muitas lojas vêm apostando em inovações e modelos de venda que despertem a atenção e atendam às demandas dos clientes.

Um exemplo de estratégia de venda são os kits de cuecas. Criados como uma forma de simplificar a escolha e experiência de compra do consumidor, esse tipo de conjunto de roupa íntima masculina tem como vantagem oferecer preços mais atraentes em relação à comercialização de peças individuais, além de contar com variedade de cores e tamanhos, diminuindo o trabalho de pesquisa do cliente.



Website: https://www.cuecastore.com.br/
Notícias Relacionadas »