11/05/2021 às 12h34min - Atualizada em 11/05/2021 às 13h20min

E-commerce: a desburocratização e digitalização dos processos

Com o intuito de reduzir os custos com papel, entidades se unem em prol de facilidades para o e-commerce.

DINO


Buscando desburocratizar os processos de logística, a FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), em parceria com a ABCOMM (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) e outras entidades, lançaram a campanha Logística Sem Papel que busca conseguir junto ao Poder Público que processos do e-commerce e logística sejam desburocratizados e digitalizados.

De acordo com a FecomercioSP, no primeiro semestre da pandemia, em 2020, calcula-se que foram feitas 1,6 bilhão de impressões para os 91 milhões de pedidos realizados. Uma única mercadoria comprada de forma online pode gerar até 16 documentos impressos, entre notas fiscais, etiqueta, protocolos e códigos de rastreio, causando grande impacto ao meio ambiente, não só do papel, mas de plástico, tinta e outros insumos. Financeiramente também é oneroso, sendo equivalente a 8% do faturamento das vendas virtuais.

De acordo com o estudo Total Economic ImpactTM, encomendado pela Adobe e conduzido pela Forrester Consulting, empresas de soluções para impressão, digitalização, transmissão e armazenamento de documentos são capazes de gerar uma redução de 96% no tempo do ciclo do documento: de uma média de sete dias para apenas 2 horas. Esse processo burocrático praticado pelo e-commerce demanda trabalhos manuais que resultam em 31 dias de trabalho ao longo do ano, ou seja, dos 12 meses, um é dedicado a isso.

Na prática, as compras online já estavam consolidadas, são cômodas e se tornaram imprescindíveis durante a pandemia, mas os processos que estão por trás podem não ser tão vantajosas ao ambiente e ao tempo que demanda. É importante que o Poder Público tome conhecimento disso e contribua com as mudanças propostas.

Notícias Relacionadas »