19/04/2021 às 13h11min - Atualizada em 19/04/2021 às 15h40min

O Consumo Consciente como uma maneira acessível e eficaz de preservar o meio ambiente

Saber como consumir de forma mais consciente é fundamental para a saúde humana, mas também para a preservação do meio ambiente.

DINO
https://www.sitiopema.com.br/
Consumo Consciente


Durante muitos anos a sociedade realizava consumos sem pensar nas consequências que poderiam trazer. Com isso, é possível perceber diversos efeitos negativos, principalmente no meio ambiente. Assim, pensar em um consumo consciente se tornou importante para todo ser humano, visto que atitudes individualistas no consumismo podem transformar o planeta em um lugar hostil para se viver.

Entre as principais mudanças de consumo que vêm ocorrendo, a água e a energia são aquelas que causam maiores preocupações, pois representam a forma como se explora as riquezas naturais.

Dessa forma, não somente as pessoas devem mudar o comportamento, mas, principalmente, as empresas e demais corporações por terem maior impacto sobre o uso da água potável e também da emissão de poluentes para a natureza.

Ao longo do texto, é possível entender melhor sobre as práticas de consumo consciente e de que forma é possível repensar o consumismo nos tempos atuais.

O que é consumismo
Para promover ações de consumo consciente no dia a dia, é preciso, antes, identificar quais são as características do consumismo para poder evitá-las na prática.

É possível definir o consumismo como o ato de fazer compras desenfreadamente, muitas vezes sem necessidade alguma. Nesse sentido, a compra teria como objetivo apenas preencher valores simbólicos e sociais. Ao praticar o consumismo, o indivíduo estará acumulando itens que não terão utilidade ou importância na vida, que se tornam descartáveis e substituíveis por novos produtos.

Na medida em que cresce o descarte, aumenta também a produção de lixo não orgânico, que demora décadas ou séculos para se decompor, se houver decomposição. O resultado são oceanos e rios com imenso volume de plástico, além da escassez de riquezas naturais.

Consumo consciente da água
Como mencionado, o consumo consciente da água é um dos mais importantes, já que os recursos hídricos são os mais escassos no meio ambiente. Somente 0,02% do volume total pode ser consumido pelo ser humano, uma porcentagem que está disponível em lagos e rios que fazem o abastecimento das cidades, embora o planeta seja composto por água na sua imensa maioria.

Sendo assim, o consumo consciente é o que pode garantir água potável para as próximas gerações. Armazenar a água da chuva, reduzir a lavagem de calçadas com água corrente e cuidar de possíveis vazamentos na tubulação são atitudes simples que melhoram bastante a utilização dos recursos hídricos.

Consumo consciente de energia
Atualmente, as fontes de energia estão cada vez mais limpas e renováveis. Isso significa que não exploram riquezas findáveis, como a água e o petróleo, por exemplo, e não causam danos ao meio ambiente.

Dentre as principais alternativas de consumo consciente de energia, estão a biomassa, solar e eólica.
A energia de biomassa é gerada através de combustíveis como etanol, biogás e biodiesel, provenientes da plantação da cana-de-açúcar, por exemplo. Nesse caso, o uso nos motores a combustível é a principal forma de uso.

Já a energia solar é gerada através de placas de captação térmica, que permitem o fornecimento de energia elétrica para residências e empresas.

Por fim, a energia eólica consiste, de forma simples, na impulsão de hélices a partir da força do vento. Com isso, é gerada a energia sustentável, que pode ser utilizada de diversas formas.

Estes três modelos de energias renováveis são exemplos de consumo consciente, em que não é preciso abrir mão de benefícios energéticos para evitar os impactos ambientais.

Exemplos de consumo consciente
É natural que algumas pessoas se sintam perdidas em relação ao que fazer para conter esses problemas, com todas as necessidades que já foram mencionadas nos itens acima de manter um consumo consciente. Entretanto, é possível listar ações simples, mas que têm poder de mudança real.

A valorização dos produtores locais é um exemplo disso. Ao invés de consumir produtos de grandes indústrias, que geram impactos ambientais significativos, comprar no comércio e em empresas locais garante produtos com maior qualidade, na maioria das vezes, além de gerar empregos e renda para a comunidade local. Este é apenas um exemplo das mudanças que o ser humano pode fazer para tornar o consumo consciente uma realidade.

Valorização dos produtores locais
Médicos e demais profissionais da saúde alertam que alimentos naturais costumam oferecer maiores benefícios à saúde. Mas como encontrar comida natural em indústrias multinacionais, que precisam importar e exportar mantimentos o tempo todo?

Sendo assim, a alimentação é apenas um dos motivos para valorizar os produtores locais. Além disso, a proximidade faz com que o consumidor conheça melhor os processos de produção da empresa, dando mais embasamento para as escolhas e tornando o consumo consciente mais viável.

Bem como as práticas de produção da empresa, é interessante se atentar às práticas sociais dela, como inclusão, ações comunitárias, descarte de resíduos, dentre outros.

Destinação correta dos lixos
O descarte do lixo é uma das principais preocupações dentro do consumismo. Uma medida em que o consumo é menos agressivo e mais consciente é a destinação correta dos lixos.

Há duas classificações básicas: orgânicos e não orgânicos. A primeira classe é composta principalmente por alimentos. Neste caso, é possível utilizá-lo na adubação da terra para o plantio, ou apenas descartar em uma embalagem específica.

Já o lixo não orgânico é bastante diverso, tendo plástico, metal, papel, entre outros. O mais indicado é separar estes três no descarte, para facilitar a coleta seletiva, ou até mesmo encaminhar para empresas que fazem reciclagem.



Website: https://www.sitiopema.com.br/
Notícias Relacionadas »