12/04/2021 às 09h15min - Atualizada em 12/04/2021 às 10h20min

Consórcio de serviços permite a realização de cirurgias plásticas

A modalidade possibilita que o cliente utilize o crédito na realização de procedimentos estéticos e reparadores

DINO


No Brasil e no mundo, a cada dia mais cirurgias plásticas são realizadas. São vários os motivos que levam as pessoas a procurarem por esses procedimentos. Mesmo que a maioria seja realizada apenas por benefícios estéticos, as técnicas cirúrgicas podem corrigir imperfeições no corpo ou promover melhorias no funcionamento do organismo. Por exemplo, algumas das intervenções cirúrgicas mais procuradas são as de nariz (rinoplastia) e para correção das chamadas "orelhas de abano" (otoplastia). Alguns problemas solucionados por cirurgias plásticas são decorrentes de doenças e outros estão presentes desde o nascimento.

De acordo com um estudo conduzido pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal Meu Bolso Feliz, a realização de cirurgias plásticas está no "top sonhos a serem realizados" dos brasileiros. Entre viagens internacionais e nacionais (15% e 12% respectivamente) e comprar um carro (9%), os procedimentos estéticos e reconstrutores aparecem com 7%. Para que este sonho possa se concretizar, é importante ter em mente que realizar estes procedimentos requer planejamento e organização, principalmente no âmbito financeiro, pois costumam representar um alto investimento e os planos de saúde tradicionais geralmente não dão cobertura. E uma alternativa é a utilização de consórcio.

O consórcio de serviços é a modalidade que possibilita utilizar o crédito na realização de procedimentos estéticos e cirurgias reparadoras. No momento da contemplação, o consorciado define para qual fim será destinado o valor do crédito. Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC), dos clientes que utilizaram crédito de consórcio de serviços no ano passado, 18,9% destinaram os recursos ao custeio de cirurgias plásticas. O Consórcio Nacional Bancorbrás acompanha esse crescimento, apresentando alta acima do mercado. No mesmo período, 23% dos consorciados contemplados em grupos de serviços da empresa contrataram essas cirurgias.

O grande diferencial em relação aos financiamentos é que no consórcio não se paga juros. Os consorciados são organizados em grupo, para o qual os integrantes contribuem todo mês, com uma quantia pré-definida, durante certo período, criando uma poupança conjunta. A cada mês e até o final do prazo de duração do grupo, ocorrem contemplações por sorteio ou mediante oferta de lances livres ou lances fixos, de acordo com a característica do grupo e conforme a disponibilidade de saldo financeiro. Ao ser contemplado, o consorciado recebe uma carta de crédito para poder contratar o procedimento cirúrgico desejado e fazer o pagamento à vista.

O Diretor-Executivo do Consórcio Nacional Bancorbrás, José Climério Silva Souza, vê a contratação do consórcio de serviços como o primeiro passo para a realização desse desejo. "Nós oferecemos a opção de pagamento em até 48 meses e cartas de crédito de até 50 mil reais, com a possibilidade de se obter valores maiores contratando mais cartas de crédito. Para quem quer ajustar algo que incomoda, agora, não há por que esperar mais". Ele reforça, entretanto, que é estritamente necessário se atentar na escolha do profissional e do local de realização do procedimento, visando proteger a saúde. "Pesquise bastante e escolha o melhor custo-benefício para você, mas não esqueça dos cuidados e de procurar um cirurgião com cadastro no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica", aconselha.

Notícias Relacionadas »