05/04/2021 às 09h24min - Atualizada em 05/04/2021 às 10h20min

Cinco tendências que devem movimentar o mercado de alimentos em 2021

O setor alimentício mudou e os consumidores se tornaram mais exigentes em relação aos produtos. Dessa forma, existem cinco tendências para o mercado em 2021.

DINO


A alimentação é a base da vida comum. Uma dieta saudável melhora o humor, potencializa a saúde física e mental e dá mais ânimo para as tarefas do dia a dia. Em contrapartida, um cardápio ruim acarreta uma série de problemas no presente e no futuro que mina a disposição. De olho nessa condição, o mercado alimentício ampliou nos últimos anos a busca por alternativas e soluções para atender esse consumidor cada vez mais exigente e consciente do que pode lhe fazer mal. Dessa forma, é preciso acompanhar as principais tendências que movem o setor:

1 - Saudabilidade

Ainda não é uma expressão tão conhecida no país, no entanto deve se popularizar nos próximos meses e anos. É a grande macrotendência esperada no setor alimentício como um todo - e está ligada às mudanças de hábitos das pessoas. De forma simples, pode ser compreendida como a busca por alimentos naturais que proporcionam melhor saúde física e mental. Nesse sentido, a busca vai ser por produtos realmente naturais em todos os seus processos, sem utilizar nenhum conservante ou aroma artificial em sua confecção.

2 - Rótulo Limpo

Existe a expressão "free from" ou em português, "livre de". Uma tendência que cresce a cada ano é a busca por alimentos livres de ingredientes artificiais. Quanto menos elementos estiverem na confecção do alimento, melhor. É preciso valorizar os componentes naturais no processo. A principal forma de demonstrar e identificar isso é com o "rótulo limpo", ou seja, a baixa quantidade de ingredientes em sua constituição final.

3 - Menos açúcar, mais proteína

Pouco a pouco, o consumidor está mais consciente sobre a necessidade de ter hábitos saudáveis em sua alimentação. A prova disso é a demanda cada vez maior da redução de açúcar nos ingredientes dos produtos alimentícios. O brasileiro ainda consome mais do que a média recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), porém está mais ciente de que nem todos os produtos estão livres de açúcares. Como substituição, percebe-se a valorização da proteína nos ingredientes, que reforça a condição muscular e ajuda a reduzir a gordura.

4 - Sustentabilidade

Um alimento precisa ser saudável para as pessoas e para o meio ambiente. Em outras palavras: as embalagens e os processos de produção também precisam respeitar boas práticas de sustentabilidade - preservando, assim, todos os recursos naturais. A questão nesse sentido são as embalagens que contêm os produtos saudáveis, normalmente feitas de plástico. As melhores empresas do setor já planejam e têm ações para garantir a reciclagem de suas embalagens, reduzindo significativamente o impacto ambiental.

5 - Envolvimento do ecossistema

Trata-se de valores e não de simples relação de compra e venda. A empresa, além de produzir e oferecer alimentos naturais, precisa garantir que toda a cadeia acompanhe essa movimentação. Não adianta se preocupar com a produção final se a matéria-prima na fazenda já é tratada com conservantes artificiais ou se o transporte não se adequar às práticas ambientais. Quando todo o ecossistema estiver envolvido, mais players irão compreender a importância do tema e mais produtos saudáveis estarão à disposição na mesa dos brasileiros.

*Por Arlindo Curzi, CEO da Verde Campo, empresa pioneira na oferta de produtos saudáveis e sem lactose.

Notícias Relacionadas »