04/02/2021 às 10h55min - Atualizada em 05/02/2021 às 00h00min

Parceria permite logística reversa para reciclagem de cartelas e lacres plásticos de botijões

Projeto piloto é uma colaboração entre a Supergasbras e a startup O Sucateiro

DINO


A logística reversa é um dos grandes desafios encontrados no Brasil quando a pauta é sustentabilidade. Isso ocorre por causa das grandes dimensões territoriais do país, que encarece o retorno dos materiais ao ponto de origem. No entanto, existem também iniciativas animadoras de companhias neste sentido, que evitam o descarte inadequado de materiais reutilizáveis e permitem que eles voltem à cadeia de produção, protegendo o meio ambiente. É o caso da parceria da Supergasbras, empresa do Grupo SHV Energy - maior distribuidor mundial de GLP e uma das líderes no Brasil, com a empresa O Sucateiro, startup que conta com um sistema de gerenciamento de sobras e ociosidade, para dar uma destinação sustentável aos lacres e cartelas de plástico de botijões distribuídos a cada semana por sua unidade de Canoas, no Rio Grande do Sul.

Os lacres termo retráteis são utilizados como parte de vedação dos botijões e as cartelas trazem informações de segurança para o consumidor, ambos em plástico, porém tipos diferentes de plástico. Por se tratar de um material com processo de decomposição lento, a empresa incentiva que o consumidor devolva esses itens na troca do botijão ao invés de descartar no lixo comum. O objetivo é dar o processamento adequado, por meio de equipamentos e mão de obra qualificada em conformidade com todas as exigências legais e ambientais.

Para o reprocessamento, os produtos são separados em partes, limpos e colocados em máquinas que moem derretem e misturam o material a outros agentes químicos. O resultado é uma "goma" plástica que é inserida em outro equipamento para ser resfriada. Na sequência, o material é extrusado, ou seja, picado em formato padrão, se transformando em matéria prima para diversos segmentos do mercado, principalmente na indústria de calçados, tendo como principal aplicação na confecção de solas de sapato.

De acordo com o líder do projeto, Adriano Santos, técnico de segurança da SGB, além da indústria calçadista o material gerado pela Supergasbras também pode ser utilizado no mercado da construção civil. "Somos uma empresa que atua de forma sustentável e comprometida com a preservação do meio ambiente, por isso investimos nessa iniciativa, que tem a tecnologia como aliada para fornecer novas fontes e finalidades para o plástico", destaca.

A Supergasbras vai gerar uma economia de R$ 42.000,00/ano com o projeto de logística reversa em Canoas. A expectativa da empresa é expandir o projeto para Araucária, no Paraná, com possibilidade de expansão para reaproveitamento de outros materiais utilizados em suas unidades, além do plástico.

Notícias Relacionadas »