Exclusivo Cartão Marisa - 25% acima de 100 - site todo
19/11/2020 às 11h02min - Atualizada em 22/11/2020 às 00h00min

Dia Mundial do Banheiro: nada a comemorar, muito a construir

Mais da metade dos brasileiros não têm o esgoto devidamente coletado ou tratado e convive com fossas rudimentares. Evento nesta quinta apresenta dados e alternativas para melhorar o acesso no país ao saneamento

DINO
http://www.diamundialdobanheiro.org.br

Hoje (19) é o Dia Mundial do Banheiro. Longe de ser uma brincadeira, a data é comemorada desde 2011 e em 2013 passou a fazer parte do calendário oficial da Organização das Nações Unidas (ONU), como forma de alertar para a necessidade de os países adotarem medidas efetivas de combate à falta de saneamento. Os números não deixam dúvidas sobre a relevância do tema: há, no mundo, 600 milhões de pessoas compartilhando um banheiro ou latrina com outras famílias e 892 milhões, sobretudo em áreas rurais, defecando ao ar livre.

Esses dados fazem parte de um levantamento da OMS e da Unicef, de 2017. O estudo revela ainda que 4,4 bilhões não possuem saneamento gerido de forma segura, sendo que 2,3 bilhões não acessam serviços básicos de saneamento. No Brasil, o quadro é igualmente assustador. São 86 milhões de habitantes com acesso precário à água, ou seja, água de qualidade inadequada, com intermitência prolongada e em quantidade insuficiente.

E mais: 107 milhões de pessoas não têm seus esgotos devidamente coletados e tratados ou convivem com fossas rudimentares, de acordo com o estudo "Saneamento 2020, Passado, Presente e Possibilidades de Futuro para o Brasil", do Instituto Água e Saneamento (IAS). Neste ano, o Dia Mundial do Banheiro será marcado por um evento on-line, realizado pelo Instituto em conjunto com diversos parceiros da sociedade civil.

O evento é uma iniciativa do Instituto Água e Saneamento (IAS) em parceria com várias organizações da sociedade civil. Ao longo do dia, será promovida uma maratona de conversas, debates e aprendizados com o mote "Saneamento tem solução", alinhado ao tema proposto pela ONU: "Sustainable Sanitation and Climate Change".

Começando às 9h30, o evento será transmitido ao vivo no canal do YouTube e na página do IAS no Facebook. As atividades serão divididas em três blocos: Direito Humano e Emergência Climática, Municípios e Saneamento e Soluções para acelerar o acesso ao esgotamento sanitário.

"Mais do que apenas dar visibilidade às péssimas condições de esgotamento sanitário no Brasil, queremos que o Dia Mundial do Banheiro seja uma oportunidade de disseminar conhecimento sobre o assunto e discutir novos horizontes, apontando soluções que podem ajudar a acelerar a universalização do acesso à água e ao saneamento no país", explica Marussia Whately, diretora-executiva do IAS.

Lançamentos
Durante o evento, o IAS apresentará as versões preliminares de duas plataformas que vêm sendo desenvolvidas para ampliar a disseminação de conhecimento sobre as diferentes formas de atendimento de esgoto.

A Plataforma Saneamento Inclusivo enfoca metodologias, estudos, ferramentas e projetos-piloto de saneamento adaptado a variados locais, a fim de colaborar para um repertório cada vez mais diverso e consistente de soluções para o saneamento. Por meio do site, também será possível buscar informações teóricas e práticas para atuar com a abordagem do saneamento inclusivo, conhecer organizações e agentes locais atuantes no setor e mapear localidades onde há demanda por soluções inclusivas.

Já a Plataforma Saneamento tem Solução reúne um repertório de iniciativas já implementadas ou em fase de planejamento Brasil afora. Ambas as plataformas preveem a participação ativa de parceiros para alimentação e melhoria contínua das bases e conteúdos. Os sites estão em fase final de testes e aprimoramentos e serão apresentados aos participantes do evento em versão beta.

Serão apresentados também os resultados preliminares do relatório "O acesso à água e ao saneamento no enfrentamento à Covid-19 no Brasil - Transparência para a promoção de direitos humanos", que será lançado no início de dezembro. A publicação traz um levantamento, realizado via transparência passiva, sobre as ações desprendidas pelas Unidades Federativas para a garantia do acesso à água nos territórios tendo em vista a pandemia do novo coronavírus. A pesquisa procura mensurar a qualidade das informações e de sua disponibilização relativas a essa temática, e é resultado de parceria entre Artigo 19, Fundação Avina, Instituto Democracia e Sustentabilidade e Observatório das Águas - OGA.

Por fim, mais uma iniciativa relevante vai marcar o Dia Mundial do Banheiro: o Instituto Iguá anunciará a criação do Fundo Ipu - Water & Sanitation Venture Philanthropy, um fundo filantrópico rotativo, focado no tema da água e do saneamento, que pretende reunir investidores sociais para apoiar negócios de impacto socioambiental e organizações da sociedade civil que estejam desenvolvendo soluções inovadoras voltadas para essa causa. Trata-se do 1º fundo de Venture Philanthropy no Brasil, uma iniciativa desenvolvida em parceria pelo Instituto Iguá e Climate Ventures, com a parceria técnica da Sitawi e do Tozzini Freire, e o apoio institucional do Pacto Global da ONU, do Gife, da Latimpacto e do LAB de Inovação Financeira do BID, CVM, ABDE e GIZ.

Parceiros
Apoiam a iniciativa: Aliança pela Água, Coletivo Ame o Tucunduba, Movimento A Moda pela Água, Artigo 19, Fundação Avina, Associação Bem-Te-Vi Diversidade, Portal Ecoera, Instituto Galo da Manhã, ICLEI, IEA-USP, Instituto Democracia e Sustentabilidade - IDS, Instituto Iguá, Pacto Global, Purpose, SOS Mata Atlântica, SuSanA Latinoamerica e Instituto Trata Brasil.

Mais informações sobre o evento e a programação podem ser acessadas no site: http://diamundialdobanheiro.org.br.



Website: http://www.diamundialdobanheiro.org.br
Notícias Relacionadas »