18/11/2020 às 09h32min - Atualizada em 18/11/2020 às 09h39min

Ao se tornar multiplataforma, empresa de tecnologia especializada em soluções para e-commerce e clubes de assinatura cresce 50% em relação a 2019

Betalabs reformula modelo de negócio e conquista cerca de 50 novos clientes todos os meses

DINO


Com o avanço dos negócios digitais, encontrar parceiros de tecnologia que oferecem uma solução completa para apoiar o crescimento da empresa na web é fundamental. Com essa proposta, a Betalabs, especializada em tecnologia para e-commerce e clubes de assinatura, remodelou a operação e passou a ser multiplataforma.

Hoje, a empresa oferece aos clientes, na mesma solução, funcionalidades de plataforma de e-commerce, clubes de assinatura e gestão. Dessa forma, em 2020, está registrando um crescimento 50% superior em relação ao desempenho obtido em 2019. Atualmente, tem mais de 500 clientes, o que significa a conquista de cerca de 50 novas empresas todos os meses neste ano.

O bom resultado também foi impulsionado pela pandemia de covid-19. Com a suspensão das atividades presenciais, muitas empresas passaram a atuar na internet, o que levou a um aumento na demanda por soluções de e-commerce. A média de vendas das licenças cresceu 55% em relação ao período pré-coronavírus.

"A gente se abriu ao mercado, oferecendo uma solução completa para estruturar os negócios na internet", afirma Luan Gabellini, sócio-diretor da Betalabs.

Hoje, a empresa oferece uma única solução aos clientes, com várias funcionalidades incluídas - o que explica a proposta de multiplataforma. Ela é comercializada via licença, cuja validade é anual, e as empresas ficam livres para utilizar os recursos que melhor atendam aos objetivos.

Entre as funcionalidades disponíveis, estão a plataforma de e-commerce para criação de lojas virtuais, uma plataforma específica para clubes de assinatura e ERP. O objetivo é cuidar da operação do negócio digital de ponta a ponta, cuidando desde o estoque até a gestão de cobranças de pagamentos.

Além disso, a solução da Betalabs também realiza integrações com marketplaces e com outras tecnologias, como soluções de marketing e logística, bem como disponibiliza uma loja de temas, para empresas que desejam agilizar a implementação, com layouts disponibilizados pela plataforma.

Tecnologia em cloud e construção via APIs

O modelo de negócio da Betalabs mudou, mas uma coisa permanece inalterada: a utilização do cloud computing para desenvolver a plataforma. A tecnologia segue como base da solução oferecida pela empresa, mas agora com a possibilidade de o próprio cliente construir novas funcionalidades em cima dela.

Por meio de APIs (interfaces de programação de aplicações), a empresa pode incluir elementos novos nas páginas da loja ou clube de assinatura. Um profissional de front-end consegue criar campos extras para customizar ainda mais a experiência do usuário da marca e potencializar a jornada de compra.

"É complexo, mas fácil ao mesmo tempo. A tecnologia é robusta o suficiente para permitir que nosso cliente consiga escolher tudo aquilo que quiser customizar e fazer sem ter que pedir novas alterações na plataforma", prossegue Luan.

Mudança para acompanhar tendências do mercado

A Betalabs surgiu em 2011 por iniciativa de Luan Gabellini e Felipe Cataldi. Estudantes de Administração da FGV/EAESP, eles desenvolveram uma solução em cloud para facilitar a gestão de pequenas e médias lojas virtuais. A proposta era simples, mas audaciosa: oferecer ferramentas sob medida para esse público.

Em cinco anos, o número de clientes passou de cinco para mais de 300, com reconhecimento das soluções apresentadas pelo mercado. Contudo, as tendências mostravam que os clientes começavam a buscar plataformas rápidas, isto é, que permitissem a eles mesmos realizarem alterações e customizações no modelo plug and play.

Assim, em 2018, a Betalabs reformulou completamente a operação, com novo modelo de negócio e renovando a identidade corporativa. "Foi feita essa transformação em nossa estrutura para poder apoiar os pequenos e médios lojistas a crescerem neste novo momento do comércio eletrônico", finaliza Gabellini.

Notícias Relacionadas »