16/11/2020 às 09h45min - Atualizada em 16/11/2020 às 09h51min

Professor do UNISAL pesquisa impactos de fake news nas campanhas eleitorais

Coordenador do curso de Publicidade e Propaganda da instituição de ensino, Duílio Fabbri Júnior orienta candidatos em relação às notícias falsas

DINO


A influência das mídias digitais no processo eleitoral cresceu e se transformou em ferramenta importante para as campanhas políticas. Em contrapartida, também pode trazer complicações com as fake news. Para compreender essa relação, o Centro Universitário Salesiano de São Paulo - UNISAL conta com um professor que pesquisa essa temática.

Coordenador do curso de Publicidade e Propaganda da instituição de ensino na Unidade Americana, campus Maria Auxiliadora, Duílio Fabbri Júnior é doutor em Discurso Político. Com a proximidade de mais uma eleição no Brasil, o professor aprofunda os estudos sobre as campanhas eleitorais e as notícias falsas.

Durante a análise, os candidatos devem incluir cuidados especiais em relação à circulação das notícias falsas. Além das estratégias corriqueiras de marketing político e eleitoral, é preciso criar formas de monitoramento e, principalmente, de ação imediata diante de relatos inverídicos que possam comprometer a imagem da pessoa na disputa.

O conceito de fake news aborda a propagação de mentiras em forma de notícia jornalística para confundir a população sobre projetos e ideias. No caso das eleições, grupos chegam a utilizar robôs para difundirem conteúdos que prejudicam os adversários políticos. Isso ocorre porque a informação on-line ganhou mais destaque do que a divulgada pela mídia tradicional, ainda mais com a facilidade de acesso e a velocidade na distribuição.

"A mentira sempre foi uma estratégia antiética utilizada por candidatos e governantes. No entanto, atualmente, o poder das informações falsas é maior por causa da facilidade de difusão da internet e do poder das redes sociais digitais", pondera Fabbri Júnior.

O cuidado com a circulação de fake news e o próprio conceito de desinformação justifica-se nesta eleição. Um estudo realizado pela organização Transparência Internacional em 2019 mostra que quatro em cada cinco brasileiros acreditaram que notícias falsas foram disseminadas para influenciar os últimos processos eleitorais.

Notícias Relacionadas »