04/11/2020 às 09h36min - Atualizada em 04/11/2020 às 09h48min

O “Jeito fintech” e a democratização do sistema financeiro

Esse processo de mudança, a democratização, já está acontecendo e quem tem papel fundamental nele é o Bankly, entre outros fatores, por causa da pandemia, pois ela aumentou a necessidade de negócios por meios digitais

DINO


Democratizar o sistema financeiro significa descentralizar a oferta dos serviços, permitindo a maior concorrência no mercado, e diminuir os custos sistêmicos e preços para o consumidor final. Além disso, a democratização traz a diminuição de barreiras e a consequente entrada de novos tipos de consumidores, outrora excluídos do sistema financeiro; e tudo isso só é possível graças ao "jeito fintech". Em poucas palavras, isso significa ter mais agilidade na tomada de decisões, ser customer centric, buscar eficiência, ter foco na cultura e promover o espírito empreendedor. O "jeito fintech" também foca na inovação sendo, assim, sempre o "first mover" no mercado.

Esse processo de mudança, a democratização, já está acontecendo e quem tem papel fundamental nele é o Bankly, entre outros fatores, por causa da pandemia, pois ela aumentou a necessidade de negócios por meios digitais - e tudo indica que em pouco tempo essa será a única forma de realizar transações financeiras. O Bankly dá mais velocidade aos modelos de negócios dos parceiros que ofertam esses serviços de pagamento aos clientes. Para se ter uma ideia de como ele está se popularizando, o crescimento em dinheiro, de junho para julho, foi de 250%, além da integração com 20 novos parceiros no período.

O momento, como se pode notar, é de mudanças e é fundamental acompanhá-las para saber quais serão os próximos passos. Previsões curtas são importantes para poder acompanhar todas as tendências do mercado e, assim, ganhar agilidade de raciocínio e se planejar bem, por exemplo, para lançar um novo produto. No caso do Bankly, em particular, a estratégia estará cada vez mais pautada na infraestrutura, na segurança de dados e na possibilidade de lançar produtos que atendam à nova dinâmica do mercado; uma dinâmica mais ágil, mais eficaz, mais democrática e que vem aparentemente abrindo as portas de uma nova era para o sistema financeiro. É verdade que previsões curtas são fundamentais para tomadas de decisões inteligentes, mas, ao se olhar para o cenário atual, é difícil imaginar um futuro para esse mercado que não seja baseado no "jeito fintech".

*Davi Holanda é CEO da Acesso Soluções de Pagamentos, empresa brasileira líder em tecnologia bancária e serviços financeiros, emissão, processamento e gestão de cartões e contas digitais.

Notícias Relacionadas »