13/01/2022 às 18h15min - Atualizada em 15/01/2022 às 00h00min

João Gomes Jr. atinge marca de 11 anos consecutivos no top 10 do ranking mundial

Desde 2010, o nadador capixaba está entre os mais velozes do mundo nos 50m peito. Lista com os atletas mais longevos da natação foi divulgada pelo jornalista Daniel Takata no perfil Swiming Stats no Instagram

SALA DA NOTÍCIA Gustavo Coelho
Após encerrar a temporada de 2021 com a medalha de bronze na prova dos 50m peito no Campeonato Mundial de Piscina Curta, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, o nadador João Gomes Jr. inicia 2022 com motivos para comemorar e seguir confiante. Em lista divulgada pelo jornalista Daniel Takata, João Gomes aparece entre os atletas com mais tempo no top 10 do ranking mundial em uma mesma prova. Desde 2011, o capixaba de 35 anos está entre os dez mais velozes dos 50m peito.

"Para mim é gratificante olhar para trás e ver tudo que eu trilhei nesses 11 anos no topo do ranking mundial. Em 2010, fiquei de fora por alguns centésimos, ou seja, seriam mais anos nesse top 10 anual não fosse por isso. Fiquei empolgado, pelo fato de o meu nome estar ao lado de grandes feras da natação mundial. Isso me motiva cada vez mais a continuar, sabendo que eu posso seguir trilhando esse caminho. Quem sabe chegar a 15 anos, que seria o topo do ranking", comemorou João Gomes.

O japonês Ryosuke Irie está no topo da lista, com 15 anos (de 2007 a 2021) no top 10 dos 200m costas. Em seguida, vem a sueca Sarah Sjöström, nos 50 e 100 metros borboleta, com 13 anos seguidos entre as melhores de ambas as provas. A holandesa Ranomi Kromowidjojo é a próxima da lista, há 12 anos consecutivos entre as mais rápidas dos 50m livre, com o nome de Sarah retornando, por estar também há 12 anos em destaque nos 100m livre, mesmo período que o brasileiro Bruno Fratus está no top 10 dos 50m livre. O ucraniano Andrii Govorov, com 12 anos nos 50m borboleta, a australiana Cate Campbell, há 11 anos se destacando no 50m livre, e o japonês Daiya Seto, com 11 anos no topo dos 400m medley, fecham esse top 10. 

"O fundamental para se manter no topo por muitos anos é que não veio na minha cabeça a vontade de parar. Estou ficando, em um modo de dizer, mais jovem a cada ano que passa, por estar competindo de igual para igual com os mais novos. A vontade de estar nessas competições internacionais, me segura no topo por muito tempo. Ainda me sinto um garoto, tanto no dia a dia quanto nas competições. A vontade de desempenhar bons resultados é o diferencial", enalteceu o capixaba. 

"Longevidade no esporte é um tema muito a ser discutido. Temos o Nicholas Santos, o Bruno Fratus, eu. O Felipe Lima e o França. O Guilherme Guido, Léo de Deus. Atletas que estão há muito tempo entre os melhores do mundo. Não me sinto um cara velho. As vezes passa algumas coisas na cabeça, mas a vontade de estar competindo é muito maior. Por isso consigo me sobressair perante minha idade, por essa vontade. Consigo passar por cima da idade, pensando em estar de novo nos Jogos Olímpicos. Estar em Campeonatos Mundiais e subir ao pódio, objetivos para 2022 quando temos competições importantes de longa e de curta", finalizou João Gomes. 

Quando fala de competições importantes em âmbito mundial, o nadador João Gomes Jr., atleta do Esporte Clube Pinheiros, integrante do programa olímpico da Marinha do Brasil e que conta também com o apoio de Bolsa Atleta, DUX Nutrition e Maxrecovery, refere-se a participar de duas competições marcadas para esta temporada: o Campeonato Mundial dos Esportes Aquáticos, entre 21 e 28 de maio, em Fukuoka, no Japão; e o Campeonato Mundial de Piscina Curta, entre 17 a 22 de dezembro, em Kazan, na Rússia.

Sobre João Gomes Jr. - Dono de três medalhas individuais em Campeonatos Mundiais, prata na Hungria, em Budapeste (2017), bronze na Coréia do Sul, Gwangju (2019), e agora bronze nos Emirados Árabes, em Abu Dhabi (2021), todas nos 50 m peito, João Gomes Jr. foi o quinto colocado nos 100 metros peito nos Jogos Olímpicos Rio 2016. O nadador acumula também títulos de destaque como o ouro nos 100m peito, em Lima/2019, e ouro nos 50 m peito nos Jogos Mundiais Militares de 2019, em Wuhan, na China. 
 
Notícias Relacionadas »