29/11/2021 às 11h50min - Atualizada em 29/11/2021 às 13h20min

Consórcios aceleram 38,1%, ultrapassam R$ 181 bilhões em negócios, em outubro

Apoiados em mais de 2,87 milhões de adesões, o total de consorciados ativos segue acima dos oito milhões, consolidando-se mês após mês

DINO
http://www.abac.org.br


No encerramento do décimo mês do ano, o sistema de consórcios registrou crescimento de 38,1% nos negócios, superando R$ 181,85 bilhões, contra os R$ 131,72 bilhões anteriores. No acumulado, de janeiro a outubro, foram comercializadas 2,87 milhões de novas cotas, 15,7% acima das 2,48 milhões do ano passado.

Paralelamente, o total de contemplações atingiu 1,15 milhão no mesmo período, 16,0% maior que as 991,42 mil de 2020. Foram concedidos R$ 53,26 bilhões em créditos, potencialmente injetados na economia para aquisição de bens e contratação de serviços, 23,9% superior aos R$ 42,97 bilhões de um ano atrás.

Depois de alcançar oito milhões de participantes ativos no mês de maio, os volumes seguiram avançando, chegando aos 8,09 milhões em outubro, 6,0% mais que os 7,63 milhões do mesmo mês do ano passado.

O tíquete médio do mês ficou em R$ 64,76 mil e cresceu 1,2% sobre setembro, quando era R$ 64,01, e 13,1% sobre o de janeiro, R$ 57,28, contribuindo fortemente para o volume de negócios realizados em 2021. Ao comparar com o de outubro do ano passado, R$ 59,54, houve alta de 8,8%.

Ao avaliar o atual cenário do sistema de consórcios, Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC - Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios, reafirmou que "os bons resultados obtidos nos dez meses refletem a confiança e credibilidade do mecanismo junto ao consumidor. A maturidade e o crescente conhecimento sobre a essência da educação financeira nos permitem acreditar em um fechamento anual bastante positivo, depois de vivenciarmos expectativas variadas com a pandemia".

Ao comentar as perspectivas para o próximo ano, sinalizou que "é possível traçar um 2022, ano que o mecanismo completará 60 anos, com otimismo, buscando repetir 2021, caso haja a mesma continuidade comportamental no consumo, sem nos esquecer das dificuldades econômicas e das eleições".

A presença dos consórcios na economia brasileira pode ser observada pelos volumes de créditos concedidos e potencialmente inseridos nos mercados automotivo e imobiliário. No acumulado de janeiro a outubro, o Sistema de Consórcios anotou 33,5% de participação no setor de automóveis, utilitários e camionetas, isto é, um veículo a cada três comercializados por consórcio no mercado interno.

Também no setor de motocicletas, houve 52,8% de potencial presença, ou seja, uma a cada duas vendidas no país. Entre os veículos pesados, a relação para caminhões foi de 26,3%.

No segmento imobiliário, de janeiro a outubro, as contemplações, representaram potenciais 8,7% de participação no total de imóveis financiados, incluindo os consórcios.

Do acumulado de 2,87 milhões de vendas de novas cotas, recorde no período, a distribuição setorial ficou assim: 1,20 milhão de adesões de veículos leves; 938,95 mil de motocicletas; 411,47 mil de imóveis; 150,98 mil de veículos pesados, 100,73 mil de eletroeletrônicos; e 68,49 mil de serviços. A média mensal de 286,65 mil, registrada nos dez meses, foi 15,7% acima da obtida nos mesmos meses do ano passado, quando chegou a 247,79 mil vendas.

Do acumulado de negócios que somaram R$ 181,85 bilhões, de janeiro a outubro, R$ 18,00 bilhões foram somados em outubro. Em relação ao mesmo mês no ano passado, quando eram R$ 17,41 bilhões, houve aumento de 3,4%.

Nos 8,09 milhões de consorciados ativos, a modalidade anotou altas de 47,5% nos eletroeletrônicos e outros bens duráveis; 20,8% nos veículos pesados; 16,0% nos serviços; 5,1%, nas motocicletas; 4,3% nos imóveis; e 3,9% nos veículos leves.

"Para contribuir com esse bom comportamento do consumidor e atender os interessados no Sistema de Consórcios, em especial os jovens, a ABAC está disponibilizando uma nova cartilha digital para consulta", diz Rossi. "Com o título Transforme Sonhos em Projetos - Planejamento, Poupança e Crédito Consciente, orienta a transformação de sonhos em projetos, baseada na essência da educação financeira, cujo conteúdo ensina a gerenciar o dinheiro, planejar e poupar para o futuro, e, inclusive, se proteger contra fraudes".

Nos acumulados de cotas comercializadas dos dez meses, nos últimos dez anos, notou-se que o de 2021, com 2,87 milhões de novas cotas vendidas, foi o melhor da década.

Ao ponderar os acumulados de contemplações dos dez meses, também durante a década, verificou-se que o recorde permaneceu ainda em 2015, com 1,18 milhão. O acumulado deste ano, 1,15 milhão, foi o segundo melhor do período.

No total de consorciados contemplados de janeiro a outubro, 1,15 milhão, estão incluídas as 495,70 mil de motocicletas; 478,30 mil de veículos leves; 70,29 mil de imóveis; 41,36 mil de veículos pesados; 40,92 mil de serviços; e 26,59 mil de eletroeletrônicos. A média mensal chegou a 115,32 mil, 16,3% sobre o alcançado no ano passado, com 99,14 mil consorciados contemplados.

No encerramento do décimo mês de 2021, o Sistema de Consórcios atingiu 8,09 milhões de participantes ativos, um dos maiores nas quase seis décadas de história, divididos em 82,7% no setor de veículos automotores, 12,9% nos imóveis, 2,4% em serviços e 2,0% em eletroeletrônicos e outros bens móveis duráveis.

Ao relembrar situações que influenciam diretamente os resultados na economia brasileira, como a inflação crescente; pouca reação positiva na redução do desemprego; oscilações do real perante o dólar, que por sua vez pressionam diretamente em preços finais de, por exemplo, combustíveis, alimentos e energia elétrica; além da crise hídrica e da parcela significativa da população ainda sem completar o ciclo de vacinação, o Sistema de Consórcios segue no sentido contrário, registrando evolução constante.

"Face às dificuldades atuais da situação econômica, as famílias estão mais comedidas em suas decisões de consumo", comenta Rossi. "Cautelosas em assumir novos compromissos financeiros, procuram se orientar de acordo com as boas práticas da educação financeira. Para muitos, o consórcio tem sido a opção utilizada", finaliza.



Website: http://www.abac.org.br
Notícias Relacionadas »